Blog

A importância da qualificação térmica para medicamentos termolábeis

RV Ímola 14/01/2022
0 Comentários

Na RDC de nº 430 elaborada pela ANVISA, contém resoluções sobre boas práticas no que diz respeito ao armazenamento e transporte de medicamentos, incluindo na Seção III, uma observação sobre qualificação térmica, na qual diz que o equipamento ou a área de temperatura controlada devem garantir a homogeneidade térmica em seu interior.

 

O que é a qualificação térmica?

 

A importância da qualificação térmica para medicamentos termolábeis

Adriana Oliveira

Deste modo, entra como critério obrigatório para o manuseio, armazenagem e distribuição de medicamentos a qualificação térmica, sempre visando preservar as propriedades químicas dos fármacos. 

 

 A qualificação térmica avalia a homogeneidade da temperatura em um ambiente com temperatura controlada, seja uma câmara fria, um armazém ou veículo

 

Após o mapeamento térmico, gera-se um relatório de qualificação térmica com detalhes como zonas quentes e frias, sinalização de pontos críticos e tempo de variação de temperatura para uma análise dos dados e certificação de que uma câmara fria, por exemplo, está atuando com bom desempenho. 

Durante o estudo avalia-se também como o ambiente se comporta na falta de energia e durante a abertura da porta, o que ajuda a orientar o dia a dia operacional.

 

Qualidade na armazenagem e transporte de medicamentos 

 

Garantir a temperatura ideal para armazenar ou transportar medicamentos, incluindo vacinas imunizantes da Covid-19 e outras doenças, na minha experiência, é essencial para manter a qualidade do produto e a segurança do paciente, além de claro, evitar grandes prejuízos aos sistemas público e privado de saúde. 

 

Cada produto tem suas especificações e condições ideais de conservação que precisam ser respeitadas, para que não percam sua eficácia e sejam ofertados de forma segura aos consumidores finais. 

 

Portanto, é notória a importância da qualificação térmica realizada de acordo com as normas da agência nacional de vigilância sanitária, para garantir a segurança dos medicamentos, evitar desperdícios e aprimorar a gestão de qualidade da logística de produtos hospitalares. 

 

Por: Adriana Oliveira

Os comentários estão desativados.

Voltar