Entenda como o controle de medicamentos evita a rupturas de estoque - RV ÍMOLA

Blog

Entenda como o controle de medicamentos evita a rupturas de estoque

RV Ímola 03/11/2022
160 Comentários

Um armazenamento e transporte de medicamentos bem feito pode evitar prejuízos e ganhar fidelidade de clientes. 

 

entenda como o controle de medicamentos

 

Imagine o quanto uma farmácia poderia perder se, toda vez que um cliente procurasse um produto, ele não encontrasse nas prateleiras? Além de reduzir seu faturamento, o estabelecimento ainda fortaleceria a concorrência e aumentaria as chances do consumidor nem retornar, caso isso se repetisse demais.

 

Sempre que um cliente não encontra o que procura, existe uma ruptura no estoque, um indicativo importante de uma falta de organização e controle dos medicamentos que precisa ser reavaliada. 

 

Para isso, é importante entender melhor o processo e encontrar formas de otimizá-lo para a gestão se adequar à realidade produtiva da empresa. Aqui na RV Ímola fazemos questão de fazer uma administração muito bem controlada do processo, sendo assim, separei 5 dicas que podem ajudar. 

 

   1.Conheça o perfil de demanda 

Entender o comportamento do seu consumidor é fundamental para um bom controle de estoque. Estude o perfil de compra, avalie quais produtos têm maior aceitação, quais marcas são mais procuradas, o que pode ser substituído e até em que épocas do ano essas preferências oscilam.

 

Assim, não só a empresa consegue estudar melhor seus fornecedores e como eles podem ajudar nessa entrega, mas também seu estoque de fato estará alinhado à demanda com menos chances de ruptura. Lembrando que, ao oferecer o que seu cliente procura, é importante ter preços variados também.

 

  2.Padronize processos de controle de medicamentos

Para avaliar o melhor padrão para o seu negócio, identifique como cada etapa pode ser otimizada e responda três perguntas:

  • De que maneira é feito o recebimento de medicamentos?
  • Como os itens são separados?
  • Como e qual tecnologia pode ajudar?

 

A conferência, registro e endereçamento de cada fármaco recebido e despachado deve ser precisa e atualizada com frequência, o que, muitas vezes, significa investir em algum software ou programa que ajuda a empresa a garantir que certos requisitos sejam cumpridos. Quando falamos de termolábeis, isso se torna fundamental, pois é a melhor forma de assegurar que umidade e temperatura tenham leituras fiéis e eficazes.

Na RV Ímola, por exemplo, temos um sistema de gestão logística e controle de estoque próprio chamado CLIF, além de monitoramento 24h de temperatura, rastreamento online e armazenagem vertical dos medicamentos. O CLIF (Central Logística de Inteligência Farmacêutica) permite que tudo esteja de acordo com a ANVISA, controlando desde a requisição do material até a chegada ao cliente. 

 

  3.Mantenha a equipe treinada

De nada adianta ter tecnologia e aparatos que otimizem cada procedimento, se seus colaboradores não estiverem preparados para utilizá-los da melhor forma possível. Por isso, é essencial que treinamentos sejam feitos para que essas pessoas possam identificar falhas e resolver eventuais problemas em conjunto com a automatização dos processos.

 

  4.Defina organização e local adequados

Um controle de estoque atualizado é ideal para ter melhor precisão de demanda e assegurar uma boa reposição. Afinal, ter um histórico e dados constantes irão ajudar você a entender fluxos de vendas e avaliar quando é necessário fazer novas compras ou oferecer descontos para se desfazer de certos produtos. 

Uma boa sugestão é classificar medicamentos em categorias como preço, volume de saída, grupo terapêutico e ordem de importância, assim o manuseio ficará mais fácil e rápido para melhorar até mesmo sua disposição nas prateleiras e garantir sua eficácia.

Na RV Ímola, um bom exemplo disso é a Logimat, nosso sistema vertical de armazenagem de medicamentos que traz maior ergonomia e segurança para as operações, reduzindo em até 90% a área necessária para o armazenamento e mais de 70% no transporte. 

 

  5.Faça inventário regularmente

Uma boa gestão logística se traduz em constância. Para manter todos esses benefícios, é preciso fazer um inventário frequentemente e assegurar que a empresa esteja atualizada a todo momento sobre a situação do seu estoque. Assim, terá registros precisos e confiáveis que permitem uma avaliação estratégica mais dinâmica e assertiva. 

 

Acredito que, com bons parceiros logísticos, tecnologia e dicas como estas, é possível construir um sistema de controle que impeça que um cliente saia da farmácia sem o medicamento que queria. Essa frustração e ruptura no controle de estoque não precisa fazer parte da rotina de ninguém, basta investir nos processos certos.

 

 

 

 

 

 

Por Bruno Vilela

 

Voltar