ESG na indústria farmacêutica: entenda porque é tão importante e por onde começar. - RV ÍMOLA

Blog

ESG na indústria farmacêutica: entenda porque é tão importante e por onde começar.

RV Ímola 27/04/2023
160 Comentários

Antigamente, comprar um medicamento era apenas comprar um produto. Agora, o comprador do futuro quer mais. Se tiver a opção, ele vai pesquisar como aquela empresa lida com descartes e entender quais valores de inclusão pratica. Ele é um agente transformador que realmente abraça causas ambientais, de justiça e diversidade. 

Por isso, políticas ESG têm se tornado uma pauta fundamental nas empresas. Afinal, são elas que vão definir e alinhar como tópicos ambientais (Environmental), sociais (Social) e de governança (Governance) podem ser implementados no cotidiano naquele negócio. 

 

E, quando falamos da indústria farmacêutica, ele ganha ainda mais relevância. Afinal, com produtos de tamanha relevância para a saúde das pessoas, o impacto dessas aç ões afeta o custo dos medicamentos e permite tratamentos mais acessíveis para a população.

 

A cadeia toda é afetada por essas mudanças em um negócio, desde produções mais sustentáveis e investidores mais comprometidos até uma construção de imagem da empresa mais sólida e colaboradores mais motivados. 

 

Segundo uma pesquisa da PWC de 2021, 79% dos investidores da indústria consideram os riscos e as oportunidades ESG um fator decisivo para aprovação do investimento. A importância dada é tão grande que 49% se desfazem do financiamento se a empresa não agir efetivamente em questões ESG.

 

Então, que iniciativas podem ser feitas?

Para começar, é crucial entender que implementar o ESG exige comprometimento e dedicação verdadeira da empresa quanto a todas as questões que envolvem essa prática, desde a diversidade à sustentabilidade, para uma mudança cultural organizacional geral.

 

Conforme uma análise de iniciativas de diversas empresas feita pela Health Research Institute (HRI), da PwC, podemos destacar algumas ações que podem ser relevantes para cada um dos três grandes pilares do ESG:

 

Meio ambiente (Environmental)

  • Frota de veículos sustentáveis;
  • Neutralidade de carbono em 5 a 10 anos;
  • Gestão de resíduos e redução de custos por meio de investimento em fabricação contínua e outras tecnologias.
  • Cuidado no descarte e produção de lixo dos hospitais e clínicas que evite contaminações.
  • Testes constantes de durabilidade e qualidade que evitam possíveis acidentes com os EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais).

 

Social (Social)

  • Contribuições financeiras para medicamentos acessíveis a comunidades carentes;
  • Adoção e incorporação de diversidade em ensaios clínicos;
  • Maior diversidade de fornecedores e avaliação de ESG desses parceiros;
  • Busca de melhorias na segurança do produto;
  • Programas abrangentes de diversidade de recrutamento e treinamento;
  • Criação de cartilhas e ações internas para construção de um ambiente inclusivo.

 

Governança (Governance)

  • Relatório de responsabilidade social corporativa para monitorar o progresso em ESG;
  • Nomeação de liderança ESG;
  • Diversidade de gênero e raça nos conselhos de administração;
  • Ter metas de equidade salarial;
  • Políticas de ética, compliance e fraude bem estruturadas.

 

 

Aqui na RV Ímola tentamos construir constantemente um ambiente que engloba o máximo de ações possíveis. Com a criação de políticas internas, queremos garantir que nossos colaboradores estejam motivados a trabalhar em uma empresa que inclua realmente diversas  pessoas e experiências no seu dia a dia. Por isso, a criação de cartilhas de diversidade, criação de treinamentos e recrutamentos mais inclusivos têm sido fundamentais. 

 

Além disso, queremos garantir que nossos fornecedores também tenham boas práticas e valores de ESG, criando um formulário que preencham com esses pré-requisitos. Afinal, acreditamos que toda a cadeia deve se beneficiar e garantir que as mudanças ambientais, sociais e de governança sejam feitas para todos.

 

 

 

 

Por Maria Tenório

Voltar