Quais são as leis que atualmente regem o transporte de medicamentos no Brasil? - RV ÍMOLA

Blog

Quais são as leis que atualmente regem o transporte de medicamentos no Brasil?

RV Ímola 30/03/2023
172 Comentários

Mais do que qualquer tipo de carga, o transporte de medicamentos precisa de um cuidado especial durante todo seu processo, desde o armazenamento até chegar ao consumidor final. Afinal de contas, caso particularidades como umidade e temperatura não sejam bem controladas, podem afetar negativamente a saúde de pacientes.

transporte-de-medicamentos-e-os-cuidados-essenciais

Seja no manuseio, armazenamento e envio, cada etapa precisa ter certos procedimentos, tecnologias e regras para garantir que tudo seja feito corretamente, de maneira que é uma atividade muito bem regulada pela legislação e melhores práticas.

 

Quais são as leis que impactam diretamente a atividade?

Existem inúmeras leis, decretos, resoluções e decisões de órgãos que trazem maior segurança para o transporte de insumos hospitalares e medicamentos, seja da Anvisa, da Secretaria de Vigilância Sanitária ou dos Ministérios do Meio Ambiente e da Casa Civil. No entanto, vamos destacar as principais:

 

  • Portaria 1.052, da Secretaria de Vigilância Sanitária: conjunto de normas para concessão de autorizações para empresas que façam transporte de produtos hospitalares;
  • Resolução-RDC 305, da Anvisa: lista de boas práticas de distribuição, armazenagem e transporte de medicamentos;
  • Resolução 433, do Conselho Federal de Farmácia: regulamentação da atuação do farmacêutico em empresas de transporte de remédios, farmacoquímicos e produtos de saúde.

 

Quais são as boas práticas a partir disso?

Cada fármaco tem necessidades específicas de transporte e armazenamento para garantir que mantenham sua eficácia e qualidade durante todas as etapas do processo. Por isso, cabe à transportadora de medicamentos avaliar que métodos podem ser usados para assegurar que esses itens sejam preservados e que essas leis sejam cumpridas da melhor maneira possível.

 

Na RV Ímola, por exemplo, fazemos questão de acompanhar e rever processos de acordo com as indicações dos órgãos reguladores para ter um guia de boas práticas condizentes com a atualidade e a demanda dos fármacos. Abaixo, você poderá ver alguns quesitos importantes que devem ser praticados por qualquer empresa deste tipo:

 

Ter um farmacêutico na equipe

Toda empresa que faz o transporte de insumos hospitalares e medicamentos precisa ter um farmacêutico na sua equipe inscrito no Conselho Regional de Farmácia. Afinal, esse profissional poderá garantir que todos os produtos sejam registrados e todas as regras sejam cumpridas, desde a limpeza dos meios de transporte até o controle de temperatura.

 

Gerenciar estoque

Como já deve ter percebido, condições como temperatura e boas embalagens são cruciais para a conservação de medicamentos, mas de nada adianta ter os materiais necessários sem de fato controlar a entrada e saída de cada produto, e como serão estocados. 

 

Na RV Ímola, por exemplo, temos câmaras frias que nos ajudam a controlar melhor as condições dos medicamentos e um sistema de gestão logística chamado CLIF que organiza valores e dados para termos certeza que essas condições irão se manter ao longo de todo o processo. 

 

Usar caminhões adequados

Além de serem armazenados corretamente, os fármacos precisam ser transportados com o mesmo cuidado, certo? Por isso, transportadoras de medicamentos investem em meios de transporte adequados que garantam a manutenção das condições ideais de cada item. Afinal, existem produtos que precisam ficar entre 2ºC e 8ºC, enquanto outros não podem passar de 30ºC.

 

Na RV Ímola, além de termos caminhões e aviões de ponta, nossos motoristas são treinados com frequência em procedimentos relacionados à gestão logística com os sistemas e planos de viagens, gerenciamento de risco, condução econômica e segura de veículos, uso do rastreador, manutenção e cuidados básicos com os veículos. 

 

Planejar rotas e rastrear cargas

Como fármacos costumam ser cargas visadas, o planejamento de rotas é uma tarefa importante para evitar qualquer sinistro de maneira que o transporte de medicamentos seja mais eficiente com menos custos. Ao entender a rota a ser tomada, evita-se congestionamentos, filas e até roubos.

 

Para isso, a RV Ímola tem uma equipe de gerenciamento de risco que monitora e rastreia os meios de transporte utilizados 24 horas por dia e faz cálculos de rota para garantir que se mantenham atualizados e evitem atrasos ou perda de qualidade da mercadoria.  

 

Fazer o transporte de medicamentos é um trabalho que exige muito cuidado e eficiência para poder manter ao máximo as condições do fármaco desde sua chegada até o final do processo e, mais importante, salvar vidas. Por isso, temos orgulho de dizer que estamos a mais de 7 anos sem sinistralidade na RV Ímola e esperamos continuar assim com a ajuda da tecnologia e dos profissionais cada vez mais competentes das nossas equipes. 

 

 

 

 

Por Patricia Cardozo.

Voltar